Acompanhe nossa cobertura na Expointer 2017

03-09 Jantar-baile Os Monarcas - CTG Querência Xucra

Anúncio Domingueira Farroupilha - CTG Plácido de Castro

Festejos Farroupilhas de São Gabriel - Clique aqui para ver a programação

Pais e Vereadores vão ao Ministério Público pelo não-fechamento da Escola Evaristo

Pais estiveram na Prefeitura, onde foram recebidos pelo Chefe de Gabinete e a Secretária de Eduação, onde eles pedem o não-fechamento da Escola Evaristo (foto divulgação)
(JP Assessoria de Imprensa)

Os vereadores Karen Lannes(SD), Paulo Sérgio Barros da Silva - Nenê(PDT), Sildo Cabreira(PDT) e Caio Rocha(PP) acompanharam os pais dos alunos da Escola Municipal José Evaristo Macedo Casado até a Prefeitura Municipal nesta quarta-feira, 25 de novembro para uma reunião com o Executivo. Na Prefeitura eles foram recebidos pelo Chefe de Gabinete Luis Pires e pela Secretária de Educação Nilvanês Jobim. No encontro os pais expuseram a dificuldade dos alunos caso a escola deixe de atender até o quinto ano e passe apenas a atender em nível de educação infantil. Para a maioria dos pais as escolas disponíveis no zoneamento, CAIC e Carlota Vieira da Cunha, ou se tornam distantes ou dificultam a adaptação destes, especialmente em situações especiais já que o quadro de profissionais e educadores da escola realizam excelente atendimento.


Por sua vez, a Secretária de Educação disse que o município tomou a decisão em relação à escola por determinação dos Planos Nacional e Municipal de Educação e especialmente uma exigência do Ministério Público que determina que até março de 2016 sejam disponibilizadas 500 vagas na Educação Infantil e 700 vagas para crianças até 3 anos. 

A sugestão da Vereadora Karen Lannes com apoio dos demais vereadores foi a de que a escola não venha a fechar a escola até o 5º ano, mas amplie as salas para implantar a Educação Infantil. Por consenso, ficou acertado que os vereadores com os pais e a Secretária de Educação estarão buscando audiência com o Ministério Público, para seja encontrada uma solução.

Entenda o caso

Comentário(s)
0 Comentário(s)

Nenhum comentário: